Textos
04 - 12 recomendações para a arquitetura durável, por João Diniz

A partir de agosto de 2006 tenho ministrado as aulas e coordenado a disciplina ‘ARQUITETURA E SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL’ na Universidade Fumec em Belo Horizonte. Após estudos e consultas a vários projetos e fontes relacionadas ao assunto chegamos a uma listagem de 12 ações que podem fazer que um projeto seja sustentável, ou durável, como dizem os franceses e que me parece uma palavra mais ampla e correta.

 
Não será fácil cumprir estas 12 recomendações em um só projeto, mas o mais próximo que aproximarmos de algumas delas em nossas ações como arquitetos fará nosso trabalho mais significativo em relação ao bem estar das pessoas e do planeta. As palavras chave após cada recomendação amplia cada tema propondo novas linhas de pesquisa.
 
Esta listagem tem sido entregue aos estudantes, e é também válida para todos os profissionais da cadeia construtiva, para que seja considerada e praticada em seus projetos e obras.
 
A seguir as 12 recomendações:
 
1 Estudar a implantação da edificação e seu posicionamento no terreno considerando as orientações quanto à incidência solar,  presença dos ventos dominantes, vistas e criação dos espaços livres/ocupados. Uso do ábaco solar  e análise das insolações e posicionamento das partes que constituem o programa arquitetônico.
 
Palavras chave: sol, insolação orientação, ábaco solar, conforto ambiental, implantação, partido, relação cheios e vazios, aquecimento global, arquitetura  solar, insolação e sombreamento no espaço urbano, arquitetura solar, historia dos captadores solares, heliocentrismo e cultura, azimute solstício equinócio e outras ‘unidades’ solares, ábacos solares digitais, heliodomo…
 
2 Abordar e soluções de aspectos relativos à iluminação e ventilação natural e artificial na edificação. Apresentar detalhes de esquadrias ou elementos especiais que favoreçam estas questões.
 
Palavras chave: ventilação natural e mecânica em edificação e na cidade, ventos dominantes e suas características, ventilação cruzada, chaminés de vento, ventilação induzida, ar condicionado, sistemas alternativos de ventilação, esquadrias especiais, fachadas ventiladas, ´estufas´ de aeração e ventilação, túneis de vento, efeito estufa…
 
3 Apresentar detalhes dos sistemas especiais de proteção solar de fachadas (brises e afins) e de coberturas.
 
Palavras chave: brises desenho x orientação, elementos de proteção solas, cobogós, treliças, fachadas aeradas, beirais e seu calculo, sistemas de cobertura e seu desempenho,  materiais e transmissão térmica, inércia  térmica, colchões de ar, sistemas tradicionais e históricos de proteção solar, arquitetura tropical…
 
4 Demonstrar e justificar a solução, modulação e lógica estrutural no que concerne à economia e uso racionais de materiais e sistema construtivo.
 
Palavras chave: relação entre sistema construtivo e ecologia, adequação, materiais e seus módulos, programas e espaços adequados, materiais estruturais e energia em sua produção, sistemas disponíveis no Brasil, estruturas racionais e orgânicas, estruturas da natureza, materiais estruturais alternativos, estruturas moveis, estruturas e crescimento…
 
5 Eleger e justificar os materiais usados na edificação quanto à sua sustentabilidade energética, coerência formal e conceitual, bem como estratégias econômicas de viabilização da obra e da operação do edifício numa perspectiva de ‘ciclo de vida’ da construção.
 
Palavras chave: materiais e energia em sua produção, materiais ecológicos e certificados, desperdício em obras, reciclagem, eficiência energética e transporte, regionalismo e materiais, materiais tradicionais e revolucionários, novos materiais e tecnologias, marcas certificadas…
 
6 Apresentar diagrama dos fluxos energéticos na edificação considerando o consumo de fontes renováveis e não renováveis de energia.
 
Palavras chave: relação entre energia e edificação, consumo energético em edificações, fontes renováveis e não renováveis, energia solar, aeolica, maremotriz, hidráulica, fotovoltaica, atômica e outras, como minimizar consumo na cidade e edificações, decisões de projeto e economia de energia, edificações ‘carbono zero’…
 
7 Apresentar diagrama dos sistemas de coleta, uso e reciclagem das águas e resíduos na edificação.
 
Palavras chave: água e vida, reaproveitamento, água cinzas e negras, drenagem, águas urbanas, sistemas de limpeza, esgotos, águas pluviais, políticas das águas, águas na habitação e na cidade: consumo e formas de economia, sistema ultravioleta de purificação, capacidade hidráulica do planeta, previsões para o futuro, arquitetura e cidades da água…
 
8 Considerar e destacar aspectos relativos à acessibilidade de usuários normais e especiais, e inclusão social no uso da edificação.
 
Palavras chave: acessibilidade universal/pne, formas democráticas de gestão dos espaços na edificação e cidade, problemas usuais de acessibilidade, fluxos urbanos e inclusão social, o problema do transporte, formas alternativas de transporte, políticas amigáveis de transporte publico urbano e interurbano, mobilidade e consumo de energia, densidade urbana e consumo de energia, saúde e mobilidade, arquiteturas inclusivas…
 
9 Considerar e justificar a coerência do uso de vegetação na edificação e na cidade.
 
Palavras chave: estatísticas sobre vegetação e cidades, vegetação e poluição, parques urbanos, construções ‘verdes’, tetos vegetais, jardins verticais, culturas hidropônicas, plantas e ambientes internos, políticas urbanas de áreas verdes, espécies adequadas às cidades e edificações, agricultura urbana, compostagem, ciclo de vida das arvores, paisagismos arte e ecologia, jardins históricos, arquitetura verde…
 
10 Abordar e justificar o impacto estético da edificação em relação à comunicabilidade do seu uso em questão e suas qualidades de sustentabilidade ambiental.
 
Palavras chave: impactos positivos e negativos das edificações, ética e estética construtiva, como as edificações ‘comunicam’ suas qualidades ambientais, contextos modificados negativa e positivamente, a imagem transformadora das edificações, premiações e ações que promovam a ‘nova arquitetura’, exemplos…
 
11 Considerar e justificar aspectos relativos à manutenção da construção e suas características de flexibilidade e desmontabilidade.
 
Palavras chave: ciclos fechados na produção de edificações e espaços, materiais e ações de durabilidade em obras, projetos de desconstrução de espaços, montagem e desmontagem em sistemas construtivos, dejetos e desperdícios na construção, reciclagem de resíduos construtivos, sistemas de certificação nacionais e internacionais de espaços e edificações, espaços reciclados e remontados, leveza e construção, espaços flexíveis…
 
12 Abordar questões relativas à transferibilidade dos conceitos e soluções adotadas.
 
Palavras chave: como experiências anteriores ajudam o futuro da arquitetura e engenharia, arquitetura vernacular, arquitetura e cultura, tradição e edificação, arquiteturas da natureza, arquiteturas animais, arquitetura sem arquitetos, arquiteturas que deixam lições que podem ser re-adotadas.
 
poro João Diniz, arquiteto MSc
 

    
    João Diniz Arquitetura Ltda Av. Pasteur 89 / 809 Santa Efigênia 30150-290 |
    Belo Horizonte / MG - Brasil | fone/fax 55 31 32366108 | escritorio@joaodiniz.com.br
    Compartilhar